Search
Close this search box.

Rocha MSG, de Freitas JL, Costa CDM, de Oliveira MO, Terzian PR, Queiroz JWM, Ferraz JB, Tatsch JFS, Soriano DC, Hamani C, Godinho F. Fields of Forel Brain Stimulation Improves Levodopa-Unresponsive Gait and Balance Disorders in Parkinson’s Disease. Neurosurgery. 2021 Aug 16;89(3):450-459. doi: 10.1093/neuros/nyab195. PMID: 34161592.

Abstract

Background: Gait and balance disturbance are challenging symptoms in advanced Parkinson’s disease (PD). Anatomic and clinical data suggest that the fields of Forel may be a potential surgical target to treat these symptoms.

Objective: To test whether bilateral stimulation centered at the fields of Forel improves levodopa unresponsive freezing of gait (FOG), balance problems, postural instability, and falls in PD.

Methods: A total of 13 patients with levodopa-unresponsive gait disturbance (Hoehn and Yahr stage ≥3) were included. Patients were evaluated before (on-medication condition) and 1 yr after surgery (on-medication-on-stimulation condition). Motor symptoms and quality of life were assessed with the Unified Parkinson’s Disease Rating scale (UPDRS III) and Quality of Life scale (PDQ-39). Clinical and instrumented analyses assessed gait, balance, postural instability, and falls.

Results: Surgery improved balance by 43% (95% confidence interval [CI]: 21.2-36.4 to 35.2-47.1; P = .0012), reduced FOG by 35% (95% CI: 15.1-20.3 to 8.1-15.3; P = .0021), and the monthly number of falls by 82.2% (95% CI: 2.2-6.9 to -0.2-1.7; P = .0039). Anticipatory postural adjustments, velocity to turn, and postural sway measurements also improved 1 yr after deep brain stimulation (DBS). UPDRS III motor scores were reduced by 27.2% postoperatively (95% CI: 42.6-54.3 to 30.2-40.5; P < .0001). Quality of life improved 27.5% (95% CI: 34.6-48.8 to 22.4-37.9; P = .0100).

Conclusion: Our results suggest that DBS of the fields of Forel improved motor symptoms in PD, as well as the FOG, falls, balance, postural instability, and quality of life.

Rocha MSG, de Freitas JL, Costa CDM, de Oliveira MO, Terzian PR, Queiroz JWM, Ferraz JB, Tatsch JFS, Soriano DC, Hamani C, Godinho F. Estimulação Cerebral Profunda nos Campos de Forel Melhoram os Distúrbios de Marcha e do Equilíbrio não Responsivos à Levodopa na Doença de Parkinson. Neurosurgery. 16 de Agosto de 2021; 89(3):450-459. doi: 10.1093/neuros/nyab195. PMID: 34161592.

Resumo

Contexto: Os distúrbios de marcha e do equilíbrio são sintomas desafiadores na doença de Parkinson avançada (DP). Dados anatômicos e clínicos sugerem que os Campos de Forel constituem um alvo cirúrgico potencial para o tratamento desses sintomas.

Objetivo: Testar se a estimulação bilateral centrada nos campos de Forel (DBS Forel) melhora o congelamento de marcha não responsiva à Levodopa, as alterações do equilíbrio, a instabilidade postural e as quedas na DP.

Métodos: Um total de 13 pacientes com distúrbios da marcha não responsivos à Levodopa (estágio Hoehn e Yahr > 3) foi incluído. Os pacientes foram avaliados antes (sob efeito da medicação) e 1 ano após a cirurgia (sob efeito da medicação e da estimulação). Os sintomas motores e a qualidade de vida foram avaliados com a Escala de Avaliação da Doença de Parkinson Unificada (UPDRS III) e a Escala de Qualidade de Vida (PDQ-39). Análises clínicas e instrumentais avaliaram a marcha, equilíbrio, instabilidade postural e quedas.

Resultados: A cirurgia (DBS Forel) melhorou o equilíbrio em 43% (intervalo de confiança de 95% [IC]: 21,2-36,4 para 35,2-47,1; P = 0,0012), reduziu o congelamento da marcha em 35% (IC de 95%: 15,1-20,3 para 8,1-15,3; P = 0,0021) e o número mensal de quedas em 82,2% (IC de 95%: 2,2-6,9 para -0,2-1,7; P = 0,0039). Os ajustes posturais antecipatórios, velocidade de virada e medidas de oscilação postural também melhoraram 1 ano após a estimulação cerebral profunda (DBS). Os escores motores do UPDRS III foram reduzidos em 27,2% no período pós-operatório (IC de 95%: 42,6-54,3 para 30,2-40,5; P <0,0001). A qualidade de vida melhorou em 27,5% (IC de 95%: 34,6-48,8 para 22,4-37,9; P = 0,0100).

Conclusão: Estes resultados sugerem que a DBS centrada nos Campos de Forel melhorou os sintomas motores na DP, bem como o congelamento da marcha, as quedas, o equilíbrio, a instabilidade postural e a qualidade de vida.

Aviso: Estas informações foram de caráter meramente educativo. Para esclarecimentos especializados – somente um profissional de saúde habilitado pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos específicos, e/ou prescrever medicamentos.

Precisa de mais informações e esclarecimentos?

Entre em contato com nossos profissionais através dos caminhos abaixo: