Tremor Essencial

O que é o Tremor Essencial?

O Tremor Essencial é um distúrbio do sistema nervoso que causa tremores involuntários e rítmicos. Trata-se do distúrbio do movimento mais frequente.

 

Pode afetar quase qualquer parte do corpo, mas o tremor ocorre com mais frequência nas mãos, especialmente quando da realização de tarefas simples, como beber água ou amarrar os sapatos.

 

Em geral, o Tremor Essencial não coloca o paciente em risco, mas a doença vai se acentuando com o tempo e pode se tornar grave em algumas pessoas. Pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum em pacientes acima dos 40 anos.

Fonte: Mayo Foundation for Medical Education and Research

  • Causas e Sintomas
  • Diagnóstico e Tratamento
  • Tratamento Cirúgico

Causas

Aproximadamente metade dos casos de tremor essencial parece resultar de mutações genéticas (distúrbio autossômico dominante), que são referidos como tremor familiar. Apenas um gene "portador da doença" de um dos pais pode transmitir o tremor.

 

Pessoas que tenham pais com mutação genética para Tremor Essencial tem 50% de chance de desenvolver o distúrbio. Além disso, o Tremor Essencial geralmente se manifesta em pessoas com 40 anos ou mais.

 

Sintomas

O tremor começa gradualmente, predominando em um dos lados do corpo. Manifesta-se quando o paciente assume certas posturas (como estender o braço para frente) ou quando realiza um movimento (como escrever ou levar um copo à boca). Em contraste ao tremor parkinsoniano, o Tremor Essencial piora com o movimento.

 

O tremor ocorre inicialmente em uma das mãos, podendo acometer as duas, além das pernas. Além disso, pode incluir qualquer parte do corpo, incluindo a língua e a cabeça. 

 

Os sintomas podem ser agravados por estresse emocional, insônia, fadiga, cafeína ou temperaturas extremas. Pode ser aliviado quando o paciente faz uso de pequenas doses de bebida alcoólica.

Diagnóstico

O diagnóstico do Tremor Essencial requer avaliação clínica, histórico médico e familiar. Não há exames auxiliares para o diagnóstico. Deste modo, um neurologista especializado em Distúrbios do Movimento deve avaliar clinicamente, descartando outras condições clínicas que possam trazer os sintomas.

 

 

Tratamento

O Tremor Essencial leve não precisa de tratamento na maioria das vezes. Entretanto, quando os sintomas afetam as atividades de vida diária, as opções de tratamento devem ser discutidas com um neurologista. Nunca usar medicação sem prescrição médica. Algumas opções estão listadas abaixo: 

 

  • Bloqueadores Beta-Adrenérgicos (Propranolol):normalmente usados ​​para tratar a hipertensão, estes medicamentos podem aliviar os tremores. Os efeitos colaterais possíveis incluem fadiga, tontura e alterações do ritmo cardíaco.
  • Anticonvulsivantes (Primidona):usados para o tratamento da epilepsia, podem ser eficazes em pacientes que não responderam aos bloqueadores beta-adrenérgicos. Iniciar sempre com doses baixas para evitar sonolência e desatenção (efeitos colaterais frequentes).
  • Gabapentina e Topiramato:também podem ser utilizados no tratamento do Tremor Essencial. Os efeitos colaterais incluem sonolência, náusea, alteração da memória e tonturas. Estes efeitos se tornam menos acentuados com o passar do tempo.
  • Benzodiazepínicos (Clonazepan): Estes medicamentos podem ser utilizados em pacientes que percebem piora acentuada do tremor diante de ansiedade. Os efeitos colaterais podem incluir fadiga, sonolência e desatenção.
  • Toxina Botulínica (Botox): As injeções de Botox podem ser úteis no tratamento de alguns tipos de tremor, especialmente os de cabeça. Esta melhora pode durar três a quatro meses.

Tratamento Cirúrgico

A maior parte dos pacientes apresenta boa resposta ao tratamento medicamentoso, porém quando esse tipo de tratamento torna-se ineficaz é possível considerar o tratamento cirúrgico. 

 

A técnica mais utilizada atualmente é a Estimulação Cerebral Profunda do Núcleo Ventral Intermédio do Tálamo (conhecido como VIM).

 

A lesão do VIM por radiofrequência é outra possibilidade a ser considerada. Apesar de eficaz, a cirurgia ablativa (onde o neurocirurgião realiza uma lesão precisa no alvo desejado) é normalmente indicada quando se pretende melhorar os sintomas de um lado apenas do corpo. Evita-se a lesão dos dois lados do cérebro por causa dos riscos de danos cognitivos. Técnicas ablativas menos invasivas com o uso do ultrassom focado de alta frequência vêm sendo realizadas em outros países. 


A Estimulação Cerebral Profunda do VIM é eficaz e imediata na maioria dos pacientes (com redução aproximada de 70 a 80% do tremor). Alguns estudos recentes têm mostrado uma redução desta melhora após alguns anos da cirurgia. Nestes casos, alterações dos parâmetros de estimulação elétrica podem restabelecer os benefícios iniciais.

Fonte: Dr. Fábio Godinho

 

Rolar para cima